PcComponentes
Minha Conta

Compatibilidade entre componentes de PC: Configura o teu equipamento

Para configurar o teu PC deves verificar a compatibilidade dos componentes, especialmente com a motherboard, memória RMA, CPU e caixa do PC. Damos-te todas as dicas.

Compatibilidade entre componentes

Quando compramos um PC por peças ou queremos atualizar algum componente, podemos cometer erros na escolha. Às vezes, não conseguimos conectar certos componentes por incompatibilidades, então vamos abordar todas elas a seguir.

A motherboard e sua compatibilidade com outros componentes

Vamos examinar a compatibilidade da placa-mãe com os componentes que conectamos nela, tendo em conta detalhes importantes na configuração.

Compatibilidade da placa-mãe e o processador

A CPU e a placa-mãe devem ser compatíveis, e essa compatibilidade resume-se ao seguinte:

Compartilhar socket ou soquete.

Tanto a motherboard quanto o processador devem ser projetados para o mesmo socket; caso contrário, a CPU não encaixará na hora de instalá-la. Lembrem-se de que o processador é instalado no socket (LGA1700, LGA1200, AM4, etc.), portanto, se não for compatível, não caberá no espaço.

O chipset da placa-mãe

Aclarada a compatibilidade entre o processador e a motherboard, devemos verificar o chipset da mesma. O chipset controla as comunicações entre CPU, RAM, armazenamento e mais periféricos, sendo projetados pela Intel ou AMD.

Embora sejam projetados pela Intel ou AMD, quem os distribui são MSI, ASUS, NZXT, EVGA, Biostar, ASRock e GIGABYTE através de suas placas-mãe. Dentro de uma geração de sockets, encontramos vários chipsets que se dividem em gamas: de entrada, mainstream e entusiasta.

Para o usuário, escolher entre um chipset ou outro vai significar desfrutar de mais ou menos funções na placa-mãe:

  • Overclock na CPU.
  • Mais suporte de frequências na RAM.
  • Melhor conectividade.
  • Overclock nas memórias RAM.

Por exemplo, AM4 tem 3 gerações de chipsets (série 300, 400 e 500) e, embora os últimos Ryzen 5000 sejam compatíveis com AM4, não são compatíveis com todas as placas da série 300.

Os fabricantes de placas-mãe costumam atualizar certos modelos para o suporte de novos processadores, mas às vezes isso não é possível. Por quê? Porque as novas CPUs podem ter necessidades de voltagem diferentes e incompatíveis com as placas-mãe mais antigas (embora tenham o mesmo socket).

Compatibilidade da placa-mãe com memória RAM

Podem surgir incompatibilidades na configuração de um PC por peças, especialmente quando se trata de escolher motherboard e memória RAM. Detalhamos o que deve ser considerado em relação à compatibilidade da placa-mãe e memória RAM.

Tipo de memória RAM: DDR3, DDR4 ou DDR5

Isto é o primeiro que devem verificar ao comprar memória RAM ou uma placa-mãe: ambas devem estar em sintonia. Não poderemos instalar um módulo DDR3 em uma motherboard que suporte DDR4, nem DDR4 em uma placa com DDR5. Fisicamente não encaixam.

Frequência da memória RAM, extremamente importante!

Muitos cometem o erro de comprar memória RAM com uma frequência maior do que a suportada pela motherboard. Isto é um desperdício de dinheiro porque pagamos mais caro por memórias RAM que vão funcionar muito mais lentas do que deveriam.

A motherboard é a pedra angular de toda a configuração, e temos que ler bem qual socket, chipset e características ela possui. Entre elas, encontramos a frequência de memória RAM que suporta (2.666 MHz, 3.200 MHz, etc.), então devemos comprar e instalar módulos correspondentes.

O que acontece se comprarmos módulos da mesma tecnologia DDR, mas mais rápidos do que o que a placa suporta? Eles funcionarão na frequência padrão (2133 MHz, normalmente) e só poderemos aumentar a frequência até o máximo suportado pela placa-mãe.

Por exemplo, se a placa suporta um máximo de 2.666 MHz e instalamos módulos de 3.200 MHz, eles funcionarão, no máximo, a 2.666 MHz, perdendo mais de 500 MHz!

Slots de memória RAM

Antes de comprar, verifiquem quantos slots ou ranhuras de memória RAM a motherboard possui. Algumas placas têm apenas 2 slots, o que nos obriga a ter configurações de 2 módulos ou um em Single Channel. Na DDR4, pode ser um problema ter apenas 2 ranhuras se quisermos instalar 32 GB ou 64 GB no total porque isso elevará bastante o preço do pacote.

Embora existam pacotes de 2 módulos de 32 GB (64 GB no total), encarecem muito o preço porque obrigam os fabricantes de memória RAM a inserir mais memória por módulo. Na memória RAM DDR5, isso não é um problema porque a densidade é maior e os módulos começam em 16 GB individuais, então as configurações de 32 GB são muito comuns.

Tenham cuidado ao combinar memórias RAM de diferentes capacidades: pode funcionar ou não. Verifiquem sempre os slots antes de comprar.

Cuidado com o formato nos portáteis

Para finalizar a compatibilidade entre memória RAM e placa-mãe, queríamos referenciar os que desejam comprar e instalar mais RAM no portátil. Verifiquem se a RAM é do mesmo tipo e se a frequência é adequada… cuidado com o formato.

No mercado, encontrarão módulos SO-DIMM e DIMM: as memórias RAM usadas em portáteis são as SODIMM. Notarão que não têm tanta frequência, são um pouco mais caras e têm menos capacidade, sendo também mais pequenas. Têm um aspecto mais "recortado" em comparação à versão de desktop.

Compatibilidade da motherboard com outros componentes

Vamos abordar a compatibilidade da placa-mãe com outros componentes, como a placa gráfica e os SSDs, por exemplo.

Placa gráfica e motherboard

 As placas gráficas utilizam uma ranhura PCI-Express e uma série de trilhos, algo a considerar na placa-mãe. Em termos de desempenho, a diferença entre PCIe 3.0 e 4.0 é praticamente inexistente, mas existe quando usamos 16 trilhos (x16) ou 8 trilhos (x8).

Encontrarão uma série de ranhuras PCI-Express nas placas-mãe, mas devem lembrar-se de usar a que oferece mais trilhos (geralmente x16). Esta ranhura é a maior de todas e está mais próxima do socket da CPU, sendo até reforçada por aço em algumas placas-mãe.

Se a GPU usa PCIe 3.0 x16, perderá desempenho se a placa-mãe não tiver uma ranhura PCIe 3.0 x16, mas apenas x8.

Aconselhamos duas coisas:

  1. Verificar quais ranhuras estão na placa-mãe e quais trilhos oferecem através da ficha técnica.
  2. Verificar qual interface PCIe a GPU usa na sua ficha técnica.

Dessa forma, podem combinar ambos os componentes sem problemas. Por exemplo, as NVIDIA GeForce RTX 3000 e AMD Radeon RX 6000 utilizam PCI-Express 4.0, havendo modelos que usam x16, x8 e outros x4.

SSD e SSD M.2

Com os SSDs de 2,5 polegadas, não há problemas porque utilizam a interface SATA, igual aos HDDs. A maioria das placas-mãe incorpora 6 portas SATA, então instalar um SSD de 2,5 polegadas nunca será um problema.

A situação muda quando queremos instalar um SSD M.2: a placa-mãe deve ter um slot preparado para isso, e as de 2016-2017 podem não tê-lo. Este slot usa a interface PCI-Express, embora não estejamos conectando o SSD a uma ranhura PCIe.

Há duas coisas a considerar:

  • Os trilhos que o slot M.2 usa.
  • A interface que o SSD usa: PCIe 3.0, 4.0 ou 5.0.
  • O formato do SSD M.2.

Não só deve haver compatibilidade entre SSD e placa-mãe em relação ao slot M.2, mas o slot deve usar os trilhos que o SSD precisa (normalmente x4). Além disso, há uma grande diferença entre um SSD PCIe 3.0 e 4.0: mais de 3.000 MB/s de transferência de dados.

Para finalizar, cuidado com o formato do SSD M.2. Este é refletido na sua ficha técnica, e a placa-mãe também estabelece isso na sua ficha técnica. O formato do SSD M.2 é diferenciado pelo Tipo e pelas dimensões, sendo os mais comuns:

  • Tipo 2280: 80 mm x 22 mm.
  • Tipo 2260: 60 mm x 22 mm.
  • Tipo 22100: 110 mm x 22 mm.
  • Tipo 2242: 42 mm x 22 mm.

Verifiquem especialmente isso quando forem instalar um SSD M.2 no vosso portátil, pois o espaço é mais limitado e os modelos podem não ser compatíveis com vários formatos. No caso das placas-mãe, geralmente há compatibilidade com a maioria dos formatos.

Motherboard e a caixa do PC

Já vimos este erro ser cometido por usuários e compradores que configuram um PC por peças: escolher uma caixa de PC que não utiliza todas as conexões frontais da motherboard.

A placa-mãe tem conectores internos nos quais se conectam fichas da caixa do PC, com a função de conectar as portas frontais da caixa do PC com o sistema. A incompatibilidade ocorre quando escolhemos uma caixa que não suporta todas as conexões frontais da placa-mãe.

Dessa forma, estaremos a desperdiçar portas que poderíamos aproveitar porque a motherboard está habilitada para isso. O mesmo ocorre ao contrário: a caixa do PC suporta tecnologias avançadas (USB 3.2) e a placa-mãe só tem USB 3.1 e USB 3.0.

Portanto, prestem atenção a este detalhe, embora a nossa equipa de configurações vos avise se isso ocorrer, oferecendo soluções.

Processadores compatíveis com o Windows 11

É importante referir os processadores que são compatíveis com o Windows 11, uma vez que a Microsoft ofereceu 3 listas distinguindo por Intel, AMD e Qualcomm. Não são poucos, então remetemos-vos à página oficial da Microsoft para verificar se podem instalar o Windows 11 ou não.

post
TOFU
ordenadores